terça-feira, 9 de setembro de 2014

UM FATO, UM BEBÊ E ME TIROU O SONO

Meninas hoje vim relatar uma história, meio triste, me tira o sono, me faz chorar.

No mês que engravidei minha tia me procurou perguntando se eu não tinha interesse em adotar uma menina, filha da vizinha dela, a menina tinha poucos dias, e a mãe não queria, pelo que entendi a mãe bebia muito e não sabia nem quem era o pai da criança.
Eu não sabia que estava grávida, e fiquei muito animada em adota-la. Marido cheio de receios, e eu consegui convencer, me apaixonei pela menina sem nem ter visto, fiz planos.
Procurei me informar de uma forma legal de fazer tudo, que funcionava mais ou menos assim, eu iria com a mãe da criança no juizado, e ela iria declarar que queria dar a menina para a adoção, mas que só daria para mim, o juiz nos daria a guarda provisória enquanto corria o processo, porém durante esse período a mãe poderia se arrepender e pegar a menina de volta, e após saber disso fiquei desanimada. Na verdade tive medo, de sofrer chantagens, da mãe querer dinheiro, enfim, pensamos uma infinidade de coisas, e desistimos.
Ontem fui à casa da minha tia e perguntei pela menina, e soube que ela ainda estava sendo "cuidada"pela mãe, minha tia pediu minha prima para buscá-la para eu ver. Da casa da minha tia eu ouvia a criança chorar,e logo minha prima chegou com ela, e disse: Ela estava largada aos berros, foi só eu pegá-la no colo e conversar, que ela ficou toda sorridente.
Gente, peguei a menina nos braços, ela me olhava como se pedisse socorro, eu falava com ela e ela sorria.
Coração cortou. Junto da gente ela parecia se sentir segura, me senti tão mal por não poder levá-la pra casa, e cuidar.
Ela estava muito gripada, com tosse, peito carregado. E eu pedindo a Deus que cuidasse daquela pequena.
De repente percebi uma inquietação, e ela procurava o peito, disse que ela estava com fome, e minha prima foi até a casa da mãe buscar uma mamadeira, quando chegou, minha tia antes de esquentar, resolveu abrir e olhar o leite, e para nossa surpresa, ele estava azedo (isso mesmo, da pra acreditar?!), Jogamos o leite fora, e preparamos outra mamadeira com o leite da minha tia. Quando fui dar o mamar a ela, a menina agarrou feito uma faminta, mamou a mamadeira cheia. Quase chorei, ela sentia fome. Quem tem coragem de deixar uma coisinha tão pequena daquela com fome??!!
Quando terminou, coloquei para arrotar, e depois a deitei nos braços, percebi que ela ficou molinha, com sono, tranquila, e já estava quase dormindo.
Minha prima resolveu levá-la embora, deixei partir, não podia me apegar.
E ela voltou contando que a mãe só perguntou: Ela já dormiu? E minha prima disse: Ainda não, mas está quase dormindo. E a mãe disse: que nada, quando eu colocar aqui vai começar a esgoelar, quando quiser vim buscar, pode vir.
Fui para casa desolada, me deitei, mas a todo tempo acordava, pensando no que aquela criança estaria passando, e como dói essa sensação de impotência.
Escrevo chorando, é triste pensar quantas de nós gostaríamos de estar vivendo esse momento lindo, o quanto temos sofrido para ter nossos filhos, quanto amor temos no coração. E bem ali, pertinho, tem uma bebê que não tem carinho, não tem cuidado, que não tem amor, e que com certeza se falasse, ontem teria me olhado nos olhos e me pedido socorro.
Que Deus abençoe essa menininha.

7 comentários:

Ludmila disse...

Que tristeza, Thalita... imagino seu desespero... acho que a única coisa que está ao seu alcance, além de rezar, é denunciar ao conselho tutelar. Pode ser feita até mesmo denúncia anônima. Seria uma grande ajuda pra essa nenem. Um beijo !

Naity disse...

Ai...nem posso ver essas histórias..já estou chorando!

Nise disse...

Nossa me cortou o coração tbm...
E entendo vc,eu tbm ficaria com medo da mae ficar em cima depois.
bjo

Thalita Loraynny disse...

Oi Lud, eu pensei em denunciar quando desisti da adoção, porém soube que tem uma vizinha lá que cuida da menina, fez o enxoval, leva o leite, dá o banho, e fica sempre de olho cuidando, ela até iria adotá-la, mas desistiu pelos mesmos motivos que eu, então achei que não poderia tirar a menina dessa pessoa, que se alguém deveria denunciar, seria ela, quando estivesse preparada para deixá-la partir, não sei se fiz o certo, mas foi o que senti no coração no momento. Já soube inclusive que a menina está ficando com ela, pq parece que a mãe começou a trabalhar.
Naity e Nise, realmente é de cortar o coração, mas sei que Deus tem colocado anjos para protege-la e vai dar tudo certo, vou ficar daqui rezando muito, e com ela nos pensamentos e no coração.
Bjus***

Rita disse...

Ai, meu Deus! Thalita, que dificil ver isso, presenciar essa mãe maltratando esse bebê. É por essas e outras que acho que mãe não é tudo igual não. Olha, acho que vocês devem denunciar a mãe se as coisas não melhorarem, E sobre a adoção, não sei direito, mas acho que adotar uma criança não é assim tão simples. É muito mais burocracia que isso. Talvez o ideal seria os vizinhos, tanto a sua tia quanto outros, juntos, poderiam ajudar essa bebê, cuidando dela. Acabei de ler o seu comentário que isso já está sendo feito, que bom! Tomara que os vizinhos consigam ajudar a mãe a se tratar.

Lyanna Souza disse...

É lamentável... mas infelizmente isso é uma situação muito mais comum do que imaginamos... Denunciar nem sempre é a melhor opção, nesses casos a ajuda dos vizinhos e dos amigos dão melhores resultados. Espero que o Senhor trabalhe no coração dessa mãe e que ela se dê conta de que precisa mudar de atitude e cuidar melhor do lindo presente que o Senhor lhe deu!!!! Bjos!!!!

Cynthia Barreto disse...

Que tristeza Thalita... Com certeza é de partir o coração, mas não se apegue, pela sua saúde e do seu bebê. Sei que parece duro isso que estou lhe escrevendo, mas a tristeza que você sente vai passar para seu bebê. Se cuida!

Ah, você perguntou de quanto tempo estou... Estou hoje de 11 semanas e 2 dias!! <3

Postar um comentário

Você me deixa muito feliz com seu comentário! Bjus***